Artistas criam quadras esportivas fora do comum para estimular a ocupação dos espaços públicos
Arquitetura

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Pense e responda: será que os espaços planejados poderiam mudar a vida das pessoas, integrando-as mais? Será que projetos criativos melhorariam as relações humanas? E o esporte? Será que a arquitetura esportiva ajudaria a direcionar os jovens para uma boa saúde e educação? Estaria ela, deste modo, representeando adequadamente uma das maiores belezas culturais dessa era?

Os gregos e romanos da antiguidade responderiam facilmente ‘sim’ à todas estas perguntas. Infelizmente, pesquisando na internet em sites especializados em cidades, é bastante difícil encontrar exemplos contemporâneos disso. De todo modo, os dois casos apresentados a seguir provam que profissionais de arte e design podem, sim, recriar espaços de forma majestosa. Afinal, eles receberam na academia o conhecimento necessário para, em muitos casos, explorar o impossível e transformar o incomum em algo absolutamente admirável, beneficiando toda uma comunidade. Nada parece ser limite para suas imaginações.

 


(imagem extraída de Curbed).

 

Colorful Basketball Court

O estúdio de design Pigalle, em parceria com a agência de publicidade ILL-Studio e a marca de artigos esportivo Nike, realizou uma intervenção em um espaço na Rue Duperré, no 9º Arrodissement de Paris. A antiga quadra de basquete, localizada num beco entre prédios residenciais históricos, recebeu um “olhar novo”. Inspirados em conceitos presentes no mundo colorido e ousado da moda, os projetistas conseguiram unir harmonicamente arte, cultura e estética do basquete. Os de tons de azul, rosa, roxo e laranja serviram para expressar a interpretação da equipe quanto ao passado, presente e futuro do esporte em geral. Hoje, além de atrair a comunidade para a prática de exercícios, o local chama a atenção dos turistas, devido à bela obra que se tornou.

“A ideia principal do projeto não era apenas fazer uma peça de arte gigante no meio da cidade, mas criar uma verdadeira quadra de basquete aberta para todas as crianças para brincar.” – Thomas Subreville e Léonard Vernhet, fundadores da ILL-Studio.

 


(imagem extraída de Pantip).

 

Uma quadra de estética bem animada

 

“Uma evolução do estilo de basquete dos anos 90 dos EUA, mas de uma maneira elegante e parisiense.” – Stephane Ashpool, fundador e designer da Pigalle.

As cores neon e os padrões arrojados, presentes no piso e nas paredes circundantes da quadra, assemelham-se à estética do basquete e outros games dos anos 80 e 90 e com uma pintura a óleo titulada de ‘Desportistas’, criada pelo artista russo Kasimir, nos anos 30. Mas, na verdade, a principal inspiração foram mesmo as coleções da marca Pigalle. Foram elaboradas duas pinturas. Na primeira, o desenho apresenta apenas formas geométricas em cores simples. Já a segunda tem um esquema de cores mais vivas, em degrade, sobre um fundo cinza e bege, como se fosse um céu ao pôr-do-sol.

 


(imagem extraída de Pinterest).

 


(imagem extraída de Huff Post Brasil).

 

Veja mais imagens desse belo projeto assistindo ao vídeo a seguir:

 

 

Unusual Football Field 

A FIFA – Federação Internacional de Futebol – padronizou os campos de futebol no formato tradicional do retângulo. Mas, para os tailandeses, campos não retangulares são altamente populares. Essa maneira bizarra de jogar tem conquistado as crianças e adolescentes do país. Seguindo justamente essa tendência, A incorporadora AP Tailândia, juntamente com a agência de publicidade CJ Works, desenvolveu para a populosa cidade de Bangkok o projeto ‘Unusual Football Field’, ou ‘campos de futebol fora do comum’ – projeto este que ganhou o prêmio Grand Prix de Design em Cannes.

Vivem na capital da Tailândia cerca de 8 milhões de pessoas. Não é à toa que a cidade parece estar ficando sem espaço para atividades recreativas. Mas a AP e a Works se propuseram a encontrar, entre suas quadras desordenadas e massa de edifícios altos, qualquer espaço público possível de ser ocupado pelas comunidades. Foi exatamente assim que surgiram as primeiras áreas de jogo inusitadas. Onde antes havia lixo, hoje há campos de futebol.


(imagem extraída de Dezeen).

 

“Se dermos importância a espaços inúteis, em todas as áreas da nossa vida, não existiria mais a palavra inútil. ” – citação feita no vídeo ‘The Unusual Football Field Project’.

 

Veja mais no vídeo a seguir:

 

Os campos irregulares, diversão na certa

 

Os espaços encontrados pela AP Tailândia e CJ Works estavam totalmente abandonados. Eles são assimétricos – em formas, na maioria, em ‘L’ ou ‘U’ – e, a princípio, não pareciam próprios para um campo de futebol prático. Mas, mesmo assim, eles foram pintados em vermelho e cinza, mantendo uma certa lógica do jogo. São, agora, usados pelas comunidades locais para reunião de pessoas, expressão de criatividade e muita diversão. É certo, eles mudaram positivamente a vida de muitos jovens, principalmente em áreas de favela.

“Esperamos que outras comunidades adaptem essa ideia para mudar seu próprio espaço irregular,” disse um membro da agência CJ Works, em entrevista para o site The Guardian. “Este campo de futebol incomum provou que projetar limites externos pode ajudar a fomentar a criatividade usada para desenvolver esses espaços úteis.”

 


(imagem extraída de Design Boom)
 


(imagem extraída de Bored Panda)

 

Fonte: Blog da Arquitetrura

Publicado em: 18/01/2018 00:00:00


Entre em contato

Para entrar em contato, você pode utilizar o formulário ao lado ou o e-mail contato@nogaempreendimentos.com.br

RUA PETROPOLIS, 206

(47)30419992

contato@nogaempreendimentos.com.br

www.nogaempreendimentos.com.br